Métricas para medir e aperfeiçoar a performance dos fornecedores

As métricas apropriadas para gerenciar e medir o sucesso da operação de uma empresa variam significativamente por setor e pela escala dos negócios. O que não varia, no entanto, é a necessidade universal de empregar uma estrutura hierárquica bem estruturada para organizar e gerenciar métricas.

Para garantir uma cadeia de suprimentos ágil, adaptável e ideal, além de ter uma eficiente performance dos fornecedores, cada elo dela precisa ser medido com uma abordagem individual e holística. Quando ela opera sob o olhar das métricas de performance dos fornecedores é, sem dúvida, mais produtiva e, portanto, mais lucrativa.

Características de uma métrica eficiente de performance dos fornecedores

Quando as empresas analisam as várias métricas de performance disponíveis, algumas características ajudam nas decisões de negócios. As métricas devem ser:

  • Fáceis de entender– Uma boa métrica é aquela que pode ser facilmente entendida por qualquer pessoa que a observe. Deve ficar claro o que ela está realmente medindo e como ela é realmente derivada;
  • Objetivas– Uma característica importante para uma métrica de desempenho da cadeia de suprimentos e performance dos fornecedores é que ela se expressa por um valor objetivo, ou seja, derivada de dados reais e não subjetivos;
  • Relevantes– Algumas métricas podem parecer importantes, mas quando os dados são analisados, a relevância da métrica pode ser fraca. É vital que uma métrica de desempenho na qual as decisões de negócios sejam tomadas avalie dados importantes;
  • Fáceis de coletar– Às vezes as empresas selecionam métricas complexas de desempenho que são muito demoradas para serem coletadas e podem exigir tempo da equipe da linha para se preparar. Isso é contraproducente e esses tipos de métricas devem ser evitadas.

Compreendendo a cadeia de suprimentos e a cadeia de fornecedores

Toda e qualquer cadeia de suprimentos terá funcionalidades e características específicas que, até certo ponto, são exclusivas para sua própria indústria. A eficácia e, portanto, as métricas de desempenho, devem levar em consideração as prioridades individuais.

No entanto, existem áreas ​​em que as principais métricas de gerenciamento de desempenho da cadeia de suprimentos e da performance dos fornecedores, muitas vezes referidas como KPI’s, podem ser identificadas, como:

Oferta e demanda, incluindo variabilidade

O elemento mais difícil para quem gerencia cadeias de suprimentos é enfrentar o “desconhecido” e “imprevisível”. O melhor desempenho é alcançado quando as incógnitas de oferta e demanda são minimizadas e as duas coincidem. Isso envolve olhar atentamente uma infinidade de áreas e sistemas, incluindo fornecimento, compras, conversão e logística. A variabilidade da demanda pode ser entendida e melhor prevista através da adesão a protocolos, prazos de entrega precisos, avaliação rigorosa da demanda real versus previsão, além de minimizar erros e aumentar a precisão.

A variabilidade da oferta exige uma avaliação cuidadosa da conformidade, da realização versus o plano, a utilização e a disponibilidade de ativos e capacidade em todas as regiões da cadeia de suprimentos. A colaboração entre os elementos de oferta e demanda da cadeia leva ao aumento da competitividade.

Custo

Provavelmente, a métrica de gerenciamento de desempenho da cadeia de suprimentos mais tangível envolve a avaliação, medição e registro de custos com precisão. Isso envolve examinar todos os custos envolvidos na cadeia de suprimentos, desde custos operacionais, de distribuição, compras, armazenamento, transporte e de fabricação. Com sistemas precisos, é possível, portanto, gerar um custo por unidade que possa ser medido em relação ao plano de negócios.

Atendimento ao cliente

Medir a cadeia de suprimentos em relação às expectativas de atendimento ao cliente é essencial para medir o desempenho em relação ao plano de negócios. Para a maioria delas, isso envolve a avaliação de fatores como a performance dos fornecedores, entregas no prazo ou taxas de abastecimento de itens de linha.

Inventário

As métricas de gerenciamento de desempenho também devem se concentrar no inventário em toda a cadeia, tanto em termos de inventário total quanto em registros precisos, mais especificamente em termos de fatores como inventário obsoleto e inventário de trabalho e não-trabalho.

Comunicação, integração e colaboração

O perigo para o desempenho holístico de uma cadeia de suprimentos é a facilidade com que todos os processos podem perder a sua continuidade, interrompendo o fluxo produtivo. Uma métrica de gerenciamento de desempenho deve incluir a medição da comunicação, integração e colaboração entre todos os elos da cadeia.

A comunicação melhora a eficiência e, principalmente, a produtividade de todas as operações da cadeia de suprimentos e a performance dos fornecedores. Portanto, os sistemas devem estar prontos para o compartilhamento preciso de informações e dos principais relacionamentos envolvidos.

Todos os fornecedores precisam estar alinhados com as políticas, regulamentos e outras métricas de qualidade relevantes. Ao implementar um programa de capacitação de fornecedores, testes e programas de conscientização, você pode garantir que esses importantes parceiros do seu ecossistema de negócios estejam na mesma página, buscando alcançar um objetivo unificado.

Referências:

Fonte 1
Fonte 2

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário